segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Angela Maria da Silva - Dona Anjinha - 102 Anos de Vida

Uma Historia a Ser Contada
 
Dona Anjinha - 102 Anos de Vida
 
Dona Ângela Maria da Silva nasceu no Sitio Ribeiro do Município de Alagoa Nova, deste Estado, no dia 07 de janeiro de 1.912. Isso significa dizer que Dona Anjinha, como é familiarmente chamada, comemorou sua vinda ao mundo por 102 vezes. Casou com Joaquim Batista da Silva, cuja celebração matrimonial foi presidida por um dos Juízes desta Comarca de Esperança, o mais respeitado e severo Magistrado da época, Dr. Adelmar Lafayete Bezerra, precisamente no final da década 40 para o inicio da década de 50. 
 
A cerimônia civil foi testemunhada por uma das figuras mais importantes da sociedade esperancense, o Sr. Manoel Luiz Pereira, que viria, mais tarde, a ser o vice-prefeito da cidade, na década de 70; também foram testemunhas  Francisco Cunha Cavalcanti e João Marinho Falcão, o então proprietário do Bar da Praça, no Pavilhão XV de Novembro.
 
Da união conjugal surgiram 09 filhos: José Batista da Silva, falecido recentemente, José Ataíde da Silva (Duda do Bar) In Memoriam; Maria Batista de Melo também falecida; Luiz Batista, Bernadete Batista Cavalcante, Fernando Batista da Silva, Maria Salete da Silva Xavier, Edvaldo Batista da Silva e Severino Batista da Silva, este último, residente em João Pessoa, que tendo o sangue poético nas veias, o dom de escrever, narrar fatos presentes e passados, escreveu, em homenagem à sua querida mãe, Dona Anjinha, o poema "E SABE DE TUDO", cuja composição recebeu o número 2.428, datado de 06/01/14. Dona Anjinha, dos oito filhos gerados, conta com 33 netos e 56 bisnetos. Uma família bastante numerosa. De parabéns está, não apenas a aniversariante, mas todos os seus descentes. Dona Anjinha, a  matriarca de uma família simples que contribuiu com o desenvolvimento da nossa cidade. De parabéns está a família inteira.

4 comentários:

  1. Parabéns ao escritor e pesquisador desta e de outras histórias maravilhosas que tem essa cidade linda chamada Esperança, dona Anjinha é minha avó e tenho muito orgulho de ser sua neta, obrigada por essa linda homenagem.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado João por essa homenagem a minha vó e toda nossa família...Parabéns pela sua matéria, que novas pesquisas sejam interessantes para seu eleitores como esta.Adorei.Neide e Familia.

    ResponderExcluir
  3. Parabens , para todos os realizadores desta história .
    Meu nome é Anderson Batista Crespilho , sou um dos 56 bistentos de Dona Anjinha .
    E eu gostaria de diz que a Familia vai crescer vou ser PAI , pois está pra chegar o 1° tataraneto de Dona Anjinha esse tatareneto se Chama Lucca Guilherme e esta previsto pra chegar ao mundo ate o dia 9 de abril , se tornando o 1° tataraneto dessa guereira de 102 aninhos ..

    ResponderExcluir
  4. Obrigado a todos por terem partilhado a publicação sobre Dona Anjinha. Comentários esses me servem de incentivo, para prosseguir no meu objetivo: Resgatar as tradições de nossa terra natal e fazer com sejam conhecidas as famílias que contribuiram com o desenvolvimento da nossa cidade.

    ResponderExcluir